Razões para cuidar da aparência

cb0604epb_1016O paciente típico de clínicas e consultórios médicos, hoje, é o homem jovem que deseja se livrar das marcas provocadas pela acne na adolescência ou o profissional que busca uma silhueta elegante e um rosto mais jovial, livre de rugas e do aspecto cansado e abatido. Ruben Penteado considera o mercado de trabalho, competitivo e exigente, como um dos grandes responsáveis por essa mudança de hábitos. “No entanto, não podemos esquecer que as mulheres são incentivadoras da vaidade masculina e são formadoras de opinião, exercendo forte influência sobre os atos de maridos, filhos e namorados”, diz o cirurgião. Nos Estados Unidos, a pesquisa Beautiful and Labor Marketing revelou que as pessoas de melhor aparência têm um ganho salarial 5% acima daquelas cuja aparência não era “assim tão boa”. Estas chegavam a perder pelo menos 10% do valor da remuneração por conta disso. Um outro trabalho realizado pela diretora do departamento de Economia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Ruth Helena Dwek, chamado O Impacto Sócio-econômico da Beleza – 1995 a 2004, mostra que o Brasil ocupa o sétimo lugar entre os países mais vaidosos do mundo. Começar novos relacionamentos também é motivo para que os homens tomem a iniciativa de “repaginar” o visual. “O paciente masculino que busca a cirurgia plástica, geralmente, está em desarmonia com a sua imagem. Ele busca, acima de tudo, estar bem consigo mesmo”, conta o cirurgião plástico. De uma maneira geral, a vaidade masculina torna-se mais acentuada nos homens com idade entre 40 e 60 anos, faixa em que o executivo, por uma exigência do trabalho, necessita ter uma aparência jovem e bem cuidada.

Anúncios

Razões para o homem se preocupar com a aparência

12530037Vaidade? Necessidade profissional? Razões pessoais? Um misto destas respostas justifica o aumento da procura masculina por cirurgias plásticas. Dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica indicam que, em 2004, o Brasil realizou 616 mil cirurgias plásticas. Deste contingente, 31% ou 190 mil procedimentos foram realizados por homens. De lá para cá, a estimativa da entidade é que este percentual tenha crescido, pelo menos em 30%. “As intervenções masculinas mais corriqueiras são aquelas de pequeno porte, como a blefaroplastia, o peeling ou a lipoaspiração. A preocupação com o aspecto da pele e dos cabelos, antes encarada como uma preocupação feminina, hoje, também faz parte do universo masculino. No entanto, os homens têm outro perfil, gostam de soluções práticas, eficientes e simples, estas características devem ser levadas em conta no momento de atender a estes pacientes”, afirma o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada.

Plástica após a gestação

42-21637817O tempo ideal de espera para quem deseja fazer uma cirurgia plástica, segundo Ruben Penteado, “seria aguardar de três a seis  meses após o desmame, por várias razões”, enumera o médico:

– durante a amamentação, os hormônios ainda estão agindo no corpo da mãe retardando o seu retorno “à normalidade”. Este estágio “normal”, ou seja, equilibrado só será atingido no período compreendido entre três/seis meses após a parada da amamentação;

– durante a fase de amamentação, qualquer cirurgia que não seja estritamente necessária deve ser evitada, pois a medicação e os anestésicos tendem a ser transferidos através do leite materno diretamente para o bebê. “A idéia da interrupção da amamentação apenas com o intuito de realizar uma cirurgia plástica deve ser totalmente descartada pela mãe”, defende Ruben Penteado.

O médico também ressalta ainda que não se deve realizar uma cirurgia plástica em conjunto com o parto, quer este seja normal ou por cesariana. “Como o corpo materno está modificado, esta condição inviabiliza uma avaliação precisa por parte do cirurgião, requisito essencial para a obtenção de um bom resultado numa cirurgia plástica. Além disto, as alterações hormonais, imunológicas e físicas presentes nesta fase também aumentam o risco de complicações”, afirma o diretor do Centro de Medicina Integrada. Diante de um impasse estético, “procuramos aconselhar esta paciente, observando que neste período da vida, ela deve ter sua atenção e energias voltadas para uma pronta recuperação do parto, assim ela poderá se dedicar aos cuidados com o bebê e consigo mesma. Portanto, apenas pequenos procedimentos que não comprometam este ciclo da vida podem ser cogitados”, defende Ruben Penteado.