Razões para cuidar da aparência

cb0604epb_1016O paciente típico de clínicas e consultórios médicos, hoje, é o homem jovem que deseja se livrar das marcas provocadas pela acne na adolescência ou o profissional que busca uma silhueta elegante e um rosto mais jovial, livre de rugas e do aspecto cansado e abatido. Ruben Penteado considera o mercado de trabalho, competitivo e exigente, como um dos grandes responsáveis por essa mudança de hábitos. “No entanto, não podemos esquecer que as mulheres são incentivadoras da vaidade masculina e são formadoras de opinião, exercendo forte influência sobre os atos de maridos, filhos e namorados”, diz o cirurgião. Nos Estados Unidos, a pesquisa Beautiful and Labor Marketing revelou que as pessoas de melhor aparência têm um ganho salarial 5% acima daquelas cuja aparência não era “assim tão boa”. Estas chegavam a perder pelo menos 10% do valor da remuneração por conta disso. Um outro trabalho realizado pela diretora do departamento de Economia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Ruth Helena Dwek, chamado O Impacto Sócio-econômico da Beleza – 1995 a 2004, mostra que o Brasil ocupa o sétimo lugar entre os países mais vaidosos do mundo. Começar novos relacionamentos também é motivo para que os homens tomem a iniciativa de “repaginar” o visual. “O paciente masculino que busca a cirurgia plástica, geralmente, está em desarmonia com a sua imagem. Ele busca, acima de tudo, estar bem consigo mesmo”, conta o cirurgião plástico. De uma maneira geral, a vaidade masculina torna-se mais acentuada nos homens com idade entre 40 e 60 anos, faixa em que o executivo, por uma exigência do trabalho, necessita ter uma aparência jovem e bem cuidada.

Anúncios